Romaria da Juventude reúne mais de 20 mil pessoas em Carolina – MA

Com o tema: “Juventudes: Nosso grito é por trabalho e vida”, e o lema “Tende em vós mesmos sentimentos que Jesus Cristo (Fl 2,5)”, a cidade de Carolina foi centro das Juventudes do Maranhão no último final de semana dos dias 17 e 18 de setembro. A X Romaria da Juventude do Maranhão, reuniu mais de 20 mil pessoas na Praça Alípio Carvalho, em Carolina-MA, diocese sede do evento.

A festa organizada pela Pastoral da Juventude do estado (NE5), que aconteceria em 2021 e foi prorrogada para 2022 devido a pandemia de COVID-19, teve início no sábado (17) a partir das 17h, com chegada das delegações juvenis do Maranhão (12 dioceses), e participantes de outros estados, com acolhida e muita animação no palco central.

Após a missa de abertura, às 19h, na qual foi lida a benção apostólica enviada pelo Papa Francisco ao evento, a programação seguiu durante toda a madrugada com música, adoração ao Santíssimo, apresentações teatrais, dança, poesia e apelo por trabalho e vida, pelo fim da violência com as juventudes, encerrando na manhã de domingo (18), com uma grande caminhada pelas ruas de Carolina e a benção de envio.

Caminhada pelas ruas de Carolina. Além de jovens do Maranhão, o evento também contou com participantes outros estados, como Tocantins, Pará, Piauí, Pernambuco e Minas Gerais. Fonte: PJ MA

Dom Francisco Lima, bispo de Carolina, afirma que a Romaria era um grito da juventude. “Não somente cronológico, mas grito de aspirações, grito de sonhos, dos mais profundos de nossa vida”.

O bispo de Imperatriz e bispo referencial para a juventude no Maranhão, Dom Vilsom Basso, há uma energia na juventude que leva a rosto jovem da Igreja. “É a força, fé e alegria nesta juventude em que nós acreditamos como Igreja, de levar vida e esperança pro mundo”. Além da presença dos dois bispos, estiveram presentes também outros bispos do regional NE5, juntamente com sacerdotes e religosa(o)s do estado.

Na foto os bispos dom Rubival (Grajáu), dom Valdeci (Brejo), dom Armando (Bacabal), dom Elio (Pinheiro), dom Sebastião Bandeira (Coroatá e Presidente do NE5), Dom Vilsom (Imperatriz), dom Francisco Lima (Carolina) e dom Valentim (Balsas). Fonte: PJ MA

Para a secretária regional da Pastoral da Juventude Andréa Gabryele, o evento foi marcado pela caminhada da Pastoral da Juventude, que incentiva o protagonismo juvenil. “Podemos anunciar o Cristo jovem, como rosto da Igreja para sociedade, despertando outros jovens a sonhar, pensar e ter consciência de seu caminho, gerando uma civilização do amor, com os mesmos sentimentos de Jesus Cristo, pois o nosso grito é por trabalho e vida, que ecoa em cada canto deste Maranhão”.

Clique aqui e confira algumas fotos

A próxima edição já tem local definido

Uma tradição no final das romarias é o anúncio de onde acontecerá a próxima edição.  Em Carolina, foi anunciada a Diocese de Brejo como sede da XI edição da Romaria da Juventude. Após o anúncio, Dom Valdeci, já foi animando e convidando para a próxima festa da juventudes que será em sua diocese.

Por Pascom – Diocese de Imperatriz

Veja Também

CNBB divulga nota em que reprova iniciativa do governo federal de flexibilização do aborto

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou na manhã desta quarta-feira, 18 de janeiro, uma nota na qual…

CNBB divulga nota em que reprova iniciativa do governo federal de flexibilização do aborto

Sínodo da Diocese De Imperatriz: Por uma Igreja sinodal de comunhão, participação e missão

Na Solenidade da Epifania do Senhor, a Diocese de Imperatriz, em comunhão com o Papa Francisco, que convocou o Sínodo…

Sínodo da Diocese De Imperatriz: Por uma Igreja sinodal de comunhão, participação e missão

CNBB condena os ataques criminosos ao estado democrático de direito, pede contenção e responsabilização no rigor da lei

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), perplexa com as graves e violentas ocorrências em Brasília (DF), manifestou-se neste…

CNBB condena os ataques criminosos ao estado democrático de direito, pede contenção e responsabilização no rigor da lei