Igreja Católica de Imperatriz em caminho sinodal

Em 2021, houve o comunicado da Igreja, de que o Sínodo dos Bispos que seria em 2022, aconteceria somente em 2023, devido a pandemia de COVID-19. Mas a grande novidade do comunicado não foi em si a prorrogação, mas sim o percurso a concretizar até lá. Assim, para sermos mesmo capazes de caminhar juntos, como significa a palavra sínodo, foi definido um calendário com fases diocesana e continental antes do Sínodo dos bispos de outubro de 2023 no Vaticano.

Toda a Igreja está convocada pelo Papa Francisco a percorrer o caminho rumo ao Sínodo, com o tema “Para uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”. Assim, ele “convida a Igreja inteira a se interrogar sobre um tema decisivo para a sua vida e a sua missão: “O caminho da sinodalidade é precisamente o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milênio?”.

É com humildade que as dioceses do mundo acolheram o processo sinodal. Numa decisão de aceleração do tempo histórico e aproveitando a pandémica gestão do tempo a que estamos obrigados, o Papa Francisco não só faz do Sínodo o tema do Sínodo, mas força uma nova abordagem que será um grande desafio para todas as dioceses, a partir de uma “modalidade inédita” para a preparação deste grande evento.

A importância de um Sínodo para Igreja

O Sínodo, desde que foi instituído por São Paulo VI, tem se mostrado um instrumento adequado para promover a colaboração dos bispos com o Papa no governo universal da Igreja. É um instrumento de comunhão e de promoção da colegialidade episcopal.

A celebração de um sínodo sempre é um momento especial para o governo da Igreja, que está em comunhão em todo o mundo, pois os debates sinodais permitem ao Santo Padre uma ampla informação, estudo e sugestões sobre determinado assunto. O fruto desta ampla reflexão, geralmente se resulta em um documento pontifício sobre o tema abordado e que orienta as Igrejas Particulares espalhadas por todo o mundo.

O termo “sínodo” deriva do grego “sýnodos”, que significa “reunião”. O termo é composto pelo prefixo “syn” (junto com/junto de/junto a) e pelo substantivo “hodós” (caminho). O verbo grego synodéo significa “fazer um caminho com alguém”.

A constituição, de fato, do Sínodo, como o temos hoje, se deu em 15 de setembro de 1965, pelo Papa Paulo VI, através da Carta Apostólica sob a forma de Motu Proprio “Apostolica Sollicitudo”. Ali se define o que seja o Sínodo dos Bispos, de acordo com o pensamento dos padres conciliares expresso na Constituição Dogmática Lumen Gentium (Luz dos Povos).

A função do sínodo é “consultiva” (edocendi et concilia dandi se afirma no original latino). Contudo, o Sínodo pode ter uma função deliberativa, sendo que esta precisa ser ratificada pelo Romano Pontífice.

No Apostolica Sollicitudo, São Paulo VI explica que o objetivo do Sínodo é auxiliar o Papa na sua solicitude pela Igreja, em todos os lugares do mundo onde ela se encontra. Nessa mesma carta, o Papa Montini explica também que, como toda instituição humana, o Sínodo poderia ser aperfeiçoado com o passar dos anos, na sua estrutura e organização. É de fato o que tem acontecido nos pontificados que se sucederam desde então.

Com o Papa Francisco

Em continuidade da explicação de São Paulo VI, é possível exemplificar esse aperfeiçoamento através da Constituição Apostólica Episcopalis Communio, publicada no dia 15 de setembro de 2018, pelo Papa Francisco. O documento estabelece uma nova normativa, que abrange, entre outros assuntos: uma tipologia das assembleias do Sínodo, quem são os membros e outros participantes, os períodos da assembleia do Sínodo, as fases da assembleia, a composição e as tarefas da Secretaria Geral do Sínodo. Sendo assim, uma modalidade inédita é proposta pelo papa, em preparação deste grande evento com uma primeira fase vivida em trabalho de escuta em cada diocese e depois um outro momento alargado ao âmbito continental.

O objetivo é a “escuta real do Povo de Deus” para que seja possível “garantir a participação de todos no processo sinodal” – pode ler-se na nota da Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos. Precisamente, o conceito de processo é o método a utilizar. Algo que remete para uma ideia de movimento, o que implica gente em contato, debate e reflexão. Concretizando nas dioceses o próprio tema do Sínodo que fala de comunhão, participação e missão.
Para auxiliar as dioceses de todo o mundo na realização do caminho sinodal, a Secretaria do Sínodo dos Bispos publicou um vademécum que orienta os principais passos a serem dados na etapa que começará no dia 17 de outubro.

“Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão” é o tema do Sínodo que, pela primeira vez, será constituído de três etapas: diocesana (2021), continental (2022) e universal (2023). Na apresentação do Documento Preparatório do Sínodo, o Secretário-Geral do Sínodo dos Bispos, Cardeal Mario Grech, enfatizou que a etapa diocesana não será uma fase preparatória, mas já será um Sínodo e deve ter a participação de todos os batizados, pois “a Igreja quer entender melhor a si mesma”. O manual de 31 páginas oferece apoio prático às pessoas ou equipes diocesanas de contato, designadas pelos bispos para preparar e reunir o povo de Deus “para que possa dar voz à sua experiência na Igreja local”.

Ao criar a oportunidade de escuta e diálogo em nível local por meio deste Sínodo, o Papa Francisco está chamando a Igreja a redescobrir sua natureza profundamente sinodal. Esta redescoberta das raízes sinodais da Igreja envolverá um processo de aprender juntos, humildemente, como Deus nos chama a ser como Igreja no terceiro milênio”, consta no vademécum.

Na Diocese de Imperatriz

Em nossa Diocese, iniciamos a primeira fase no dia 17 de outubro (Domingo), em comunhão com toda a igreja no mundo, com uma celebração presidida por pelo nosso bispo Dom Vilsom Basso. Em sua homilia, ele reforçou que o Papa Francisco quer escutar, os padres, os leigos e leigas, religiosos e religiosas em três questões especiais: no que a diocese e a paróquia estão caminhando juntos, quais os desafios em caminhar juntos como igreja paroquial/diocesana, e por fim, que se apresente sugestões, soluções que superem essas dificuldades.

Para auxiliar esse processo, foi solicitado a cada bispo diocesano, que nomeasse uma pessoa de contato ou equipe para liderar essa etapa localmente. Essa pessoa ou equipe é também o elo entre a diocese e as paróquias, bem como entre a diocese e a conferência episcopal, responsável por reunir as contribuições de cada diocese e enviá-las à Secretaria Geral do Sínodo até abril de 2022.

A equipe formada para acompanhar essa fase, é formada por Dom Vilsom, por mim Padre Eliezer Paiva (Vigário Geral e Pároco da Catedral Diocesana), pela Ir. Rita Barbosa (Companhia Santa Teresa de Jesus) e pelo jovem do Setor Juventude, Daril de Deus. O objetivo da primeira fase do caminho sinodal é fomentar um amplo processo de consulta, a fim de recolher a riqueza das experiências da sinodalidade vivida, em suas diferentes articulações e facetas, envolvendo os pastores e os fiéis das Igrejas [locais] em todos os diferentes níveis, pelos meios mais adequados, de acordo com as realidades locais específicas.

Por Pe. Eliezer Paiva, Vigário Geral da Diocese de Imperatriz e Pároco da Catedral de Fátima.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Veja Também

Tempo do Advento: Preparar os caminhos do Senhor

Está se aproximando a celebração do Natal do Senhor, solenidade tão querida e amada por todo o povo e que,…
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Tempo do Advento: Preparar os caminhos do Senhor

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Igreja no Brasil apresenta identidade visual do Ano Jubilar Missionário 2022

As Pontifícias Obras Missionárias (POM) lançaram no sábado, 20 de novembro – data que marca os seus 43 anos no…
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Igreja no Brasil apresenta identidade visual do Ano Jubilar Missionário 2022

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Tem início, primeira Assembleia Eclesial Latino-americana e do Caribe

Na Solenidade de Cristo Rei, neste 21 de novembro, aos pés de Maria de Guadalupe, a Igreja da América Latina…
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Tem início, primeira Assembleia Eclesial Latino-americana e do Caribe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

receba nossas atualizações!

Atendimento de segunda a sexta
  08h às 12h e 14h às 18h
   [email protected]
   Av. Dorgival Pinheiro de Sousa, 396
Centro – Imperatriz – Maranhão
CEP: 65903-270 | Caixa Postal: 122

Siga-nos

   (99) 3524-8665
   (99) 3524-8652

© Copyright Diocese de Imperatriz – MA. Feito com por

© Copyright Diocese de Imperatriz – MA.
Feito com por